Hackers conseguem descobrir 45% das passwords num minuto, diz Kaspersky


Um dos novos truques dos cibercriminosos chama-se bot OTP. “É um negócio. Pode-se comprar este bot através de uma subscrição”, diz Yuliya Novikova, responsável pela área de inteligência de pegada digital da empresa de cibersegurança.

Palavras como “Google”, “love” (“amor”), “team” (“equipa”) ou “admin” são algumas das eleitas dos cibernautas para passwords. O problema? São também as mais fáceis para cibercriminosos adivinharem. É por esse motivo que quase metade (45%) das palavras-chave dos utilizadores são descobrirem em apenas um minuto.

A maioria (59%) das passwords pode ser descoberta numa hora, de acordo com uma análise da empresa de cibersegurança Kaspersky, divulgada esta terça-feira na conferência anual “Next”, que este ano decorre em Atenas, na Grécia. Os analistas da multinacional russa chegaram a esta conclusão após um teste com um computador com placa gráfica (GPU) RTX 4090.

A responsável de Inteligência de Pegada Digital da Kaspersky, Yuliya Novikova, deu três conselhos: não armazenem sem encriptação, “não criem, gerem” e não confie e utilize uma camada extra de segurança.

Yuliya Novikova falou ainda do caso particular dos vírus (malware) conhecidos por “infostealer” ou, na tradução à letra, “ladrões de informação” e revelou que no ano passado cerca de 10 milhões de sistemas foram infetados. A proporção de utilizadores, dentro das empresas, afetados aumentou 32% nos últimos três anos.

“Temos de utilizar, pelo menos, duas camadas de segurança, mas e se vos dizer que os cibercriminosos até essa segunda barreira conseguem quebrar?”, advertiu a especialista, neste evento que termina amanhã.

Um dos novos truques para essa infiltrarem ser possível chama-se bot OTP. “É um negócio. Pode-se comprar este bot através de uma subscrição. Ligam-nos como se fossem uma empresa normal, pedem para tipografar um código no teclado e depois passa-nos aos cibercriminosos”, explicou a head of Digital Footprint Intelligence da Kaspersky.

Como é um negócio, as ofertas de bots OTP – publicidades, no fundo – em canais da rede social Telegram cresceram exponencialmente de janeiro a junho de 2024, sendo que até dezembro do ano passado era uma realidade quase inexistente.

*A jornalista viajou para Atenas a convite da Kaspersky





Source link