Pandemia alavanca pirataria: ciberataques sérios na Europa duplicaram no último ano – Diário Digital

Dados da Agência da União Europeia para a Cibersegurança (ENISA) dão conta de 304 ataques maliciosos e significativos contra setores críticos, em 2020. Isto significa que os ciberataques mais do que duplicaram em relação ao ano anterior, quando se tinham verificado 146 ocorrências.

Os mesmos dados, reportados pela CNN, apontam para um aumento de 47% nos ataques a hospitais e redes associadas à indústria da saúde, no mesmo período. Os hackers terão tentado tirar partido da importância destes serviços em tempo de pandemia através de práticas maliciosas que envolvem, muitas vezes, resgates milionários.

Apostolos Malatras, responsável da ENISA, adianta que a pandemia de Covid-19 fez com que «muitos serviços fossem fornecidos online e isso aconteceu meio que à pressa, por isso a segurança ficou para depois».

Outro estudo elaborado pela empresa britânica de segurança Sophos mostra que o custo médio de um ataque de ransonmware duplicou ao longo do último ano, passando de cerca de 761 mil dólares para 1,85 milhões. Este valor inclui eventuais pagamentos aos piratas informáticos, mas também custos com seguros ou processos de limpeza para resolver o problema.

Sohn Shier, da Sophos, considera que o aumento dos custos reflete a cada vez maior complexidade dos ataques informáticos. Em declarações à CNN, sublinha que os ataque estão a tornar-se mais sofisticados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *