Ataques a sistemas de controlo industrial crescem a nível mundial – Distribuição Hoje

A percentagem de ataques a equipamentos de Industrial Control System (ICS) cresceu em 62% dos países analisados pelos especialistas da empresa de cibersegurança Kaspersky, assim como em todas as cinco indústrias examinadas, entre o primeiro e o segundo semestre de 2020.  No caso português, a percentagem de equipamentos atacados neste período foi de 33,4% – um aumento de 0.2 pontos percentuais, comparativamente ao primeiro semestre (33,2%).

A Kaspersky informa ainda que “embora a percentagem de equipamentos de ICS (Industrial Control System) em que foram bloqueados objetos maliciosos tenha vindo a diminuir desde o segundo semestre de 2019, este número começou novamente a aumentar no segundo semestre de 2020”.

A percentagem de equipamentos de ICS atacados cresceu globalmente no segundo semestre 0.85 pontos percentuais, assim como a variedade de famílias de malware utilizadas a aumentar em 30%.

Outros dados

No que toca às indústrias analisadas pelos investigadores da Kaspersky, as que tiveram a maior percentagem de equipamentos de ICS atacados foram:

  • a automação de edifícios (46,7%), com um aumento de quase 7 pontos percentuais em relação ao primeiro semestre de 2020;
  • a do petróleo e gás com 44% – um aumento de 6.2 pontos percentuais
  • a de engenharia e integração de ICS (39,3%), um aumento de quase 8 pontos percentuais, tudo face ao primeiro semestre de 2020

As ameaças às indústrias do petróleo e do gás, e da automação de edifícios têm vindo a aumentar desde o primeiro semestre de 2019. As outras duas indústrias analisadas pelos investigadores da Kaspersky (energia e indústria automóvel) registaram também um aumento na percentagem de equipamentos de ICS nos quais foram bloqueados objetos maliciosos.

Percentagem de equipamentos de ICS em que foram bloqueados objetos maliciosos

No total, foram bloqueadas ameaças pertencentes a 5.365 famílias de malware em equipamentos de sistemas de controlo industrial, um aumento de 30% que se verificou a partir do primeiro semestre de 2020. As ameaças mais proeminentes foram backdoors (trojans perigosos que ganham controlo remoto sobre o dispositivo infetado), spyware (programas concebidos para roubar dados), bem como outros tipos de trojans, scripts e documentos maliciosos.

No geral, 62% dos países analisados pelos investigadores da Kaspersky registaram um aumento da percentagem de computadores de ICS atacados. Além disso, em 73,4% dos mesmos (em comparação com 23,6% no segundo semestre de 2019), também cresceu a percentagem de equipamentos de ICS em que foram bloqueados anexos de correio eletrónico maliciosos, aumentando assim, em média e a nível global, 0.7 pontos percentuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *