Investimento em tecnologia deve crescer 7,1% este ano no Brasil, diz IDC – Valor Econômico

Os gastos com tecnologia e telecomunicações no Brasil devem avançar 7,1% este ano, somando US$ 64,4 bilhões, informou nesta quinta-feira a consultoria IDC Brasil.

Cibersegurança está no topo da lista de prioridades entre os investimentos em tecnologia para 61% das 75 empresas brasileiras pesquisadas este ano — 11 pontos acima de 2019.

Os gastos com softwares e equipamentos de segurança somarão US$ 900 milhões em 2021, um avanço de 12,5% em relação a 2019. As ofertas de segurança na nuvem devem representar 23% dos investimentos em segurança, segundo a IDC.

1 de 1 — Foto: Darwin Laganzon/Pixabay

— Foto: Darwin Laganzon/Pixabay

Tecnologias de análise de dados, incluindo inteligência artificial e aprendizado de máquina, estão em segundo na lista se prioridades para 52% das empresas consultadas. Os gastos com inteligência artificial no Brasil somarão US$ 464 milhões até o fim do ano.

A inteligência artificial começa a permear diversas tecnologias oferecidas no mercado, especialmente na área de segurança.

“Os sistemas de segurança são os que mais se beneficiam do uso da inteligência artificial diante da evolução dos ataques e vazamentos de dados”, diz Luciano Ramos, gerente de pesquisa e consultoria para a área corporativa da IDC Brasil.

Ele destaca que a multiplicação dos recursos de inteligência artificial também vai acelerar a concorrência no segmento. “Veremos um aumento no número de fusões e aquisições com empresas e startups na área”, prevê o especialista.

A tecnologia 5G é uma das apostas da consultoria para o país este ano. “O 5G tem que ser visto como uma oportunidade para a adoção de tecnologias corporativas como computação em nuvem, internet das coisas (IoT), inteligência artificial, entre outras”, diz Luciano Saboia, gerente de pesquisa e consultoria em telecomunicações da IDC Brasil.

Saboia acredita que o atraso no leilão de frequências para as redes 5G será recuperado pelo setor. “As operadoras investem entre R$ 5 e R$ 6 bilhões por ano em infraestrutura e o Brasil tem condição de recuperar esse atraso”, afirma.

O avanço de aplicações para a computação em nuvem, incluindo sistemas de gestão empresarial (ERP), é outra tendência destacada pela IDC.

Gastos com infraestrutura e plataformas de software como serviços na nuvem pública (terceirizada) devem alcançar US$ 3 bilhões este ano, um avanço de 46,5% em relação a 2020. “É uma forte aceleração em direção à nuvem puxada por plataformas como serviço, incluindo análise de dados na nuvem”, diz Ramos.

Os gastos com ERP crescerão 12,6% este ano, somando US$ 3,4 bilhões, sendo que o investimento nestes sistemas na nuvem deve variar de 14% a mais de 30% dependendo do segmento (gestão de pessoas, ativos, finanças, logística etc.). Os gastos com sistemas de relacionamento com o consumidor, incluindo gestão de atendimento, vendas e marketing, devem somar US$ 1,4 bilhão, um avanço de 21,3%.

As vendas de notebooks e tablets devem avançar 21% este ano, somando US$ 4,7 bilhões. Segundo a IDC, os dois segmentos representam 7,3% de todo o investimento em tecnologia no ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *