Centro Internet Segura: “É importante que tentemos manter o equilíbrio saudável na utilização dos dispositivos móveis” – ComUM

Estamos cada vez mais cercados pelo uso da internet e, em contexto de pandemia, acabou mesmo por se tornar imprescindível.

A 9 de fevereiro celebra-se o Dia da Internet Segura. Em entrevista ao ComUM, o Centro Internet Segura revelou que “a melhor forma de prevenir os riscos que estão implícitos ao uso da internet passa sem dúvida pela educação”.

ComUM: O Centro Internet Segura dispõe do serviço Linha Internet Segura. De que maneira é que este serviço consegue auxiliar para uma utilização mais saudável e segura da Internet? 

R: A Linha Internet Segura, um serviço do Centro Internet Segura, coordenado pela Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) compreende dois serviços: o de Esclarecimento e apoio ao cidadão – para utilização mais segura, responsável e saudável da Internet e tecnologias associadas. Acessível através de formulário pedido de esclarecimento , contacto telefónico gratuito (800 21 90 90), e correio eletrónico (linhainternetsegura@apav.pt) e o Serviço de denúncia de conteúdos ilegais online – nomeadamente Conteúdos de Abuso Sexual de Menores, Apologia ao Racismo, Apologia à Violência. Acessível através de formulário Denunciar Conteúdo Ilegal, contacto telefónico gratuito (800 21 90 90), e correio eletrónico (linhainternetsegura@apav.pt). Recorde-se que a Linha Internet Segura funciona nos dias úteis das 9h00 às 21h00.

ComUM: As crianças são apresentadas cada vez mais cedo à Internet. Como é que se pode incutir desde cedo que a Internet requer uma utilização responsável?

R: Antes de mais, importa referir que existe muita discussão académica sobre a questão a partir de que idade é que as crianças devem aceder à Internet. Neste sentido, o Centro Internet Segura, enquanto centro de sensibilização desenvolve recursos sobre várias temáticas relacionadas com a utilização consciente, responsável e saudável da Internet, lançou há algum tempo um booklet dedicado precisamente a este assunto – Guia para uma Parentalidade Digital – Dicas para pais com filhos até aos 8 anos de idade, disponível para download no site do Centro Internet Segura e pode ser descarregado aqui.  Neste recurso exploramos questões, tais como: Como é o mundo digital das crianças? Que partilhas são feitas no mundo digital? Que tipo de aprendizagens podemos ser feitas fazer em comum? Que brincadeiras existem? Podemos estar seguros de que as crianças têm uma presença responsável online?  Como podemos ajudá-los a moldar as suas aprendizagens online? De que forma é que podemos estar atualizados sobre as novidades mais recentes do digital?

Neste sentido, é importante que os pais e educadores tenham hábitos online seguros e positivos. Isso significa dar o exemplo. Aqui ficam algumas dicas para ajudar as crianças a explorar a Internet de uma forma responsável e segura:

– Manter os dispositivos em espaços familiares partilhados (não devem ser permitidos nos quartos);

– Explorar atividades juntos. Sente-se com o seu filho e brinque, especialmente para explorar novos jogos, aplicações, sites e programas ou mesmo criar conteúdos. O tempo passado nos ecrãs pode ser muito útil para o desenvolvimento da sua aprendizagem, desde que seja supervisionado.

– Supervisione as atividades, jogos e conteúdos a que acede e incentive a partilha do que está a acontecer para que se sinta envolvido.

– Construa uma relação de confiança e certifique-se de que o seu filho se sente segura em partilhar consigo qualquer tipo de conteúdo que o tenha feito sentir desconfortável ou inseguro.-Mantenha o tempo de sono separado do tempo de ecrã e não se esqueça de deixar um bom intervalo antes deste se ir deitar para que se descontrai e ir para a cama sem distrações.

– É importante lembrar que sempre que pegamos no telemóvel ou outro dispositivo e lhe damos atenção, o seu filho está a observar e a aprender consigo!

– Mesmo as crianças mais pequenas estão cientes dos ecrãs e da quantidade de tempo e atenção que os seus pais lhes dedicam. Demonstrar que é capaz de pôr de lado o seu dispositivo e dedicar atenção aos seus filhos é um exemplo importante – em qualquer idade.

– Esta última dica está disponível no recurso publicado pela EUROPOL que pretendemos traduzir brevemente.

ComUM: A presença do projeto SeguraNet nas escolas e a constante divulgação de informação é suficiente para que os jovens se tornem cidadãos responsáveis no mundo digital?

R: Desde 2004, que a Direção-Geral da Educação, através do Centro de Sensibilização SeguraNet promove a Educação para a Cidadania Digital e a Literacia Digital nas comunidades educativas. Desta forma, a Direção-Geral de Educação e o Ministério da Educação desenvolvem programas e medidas nacionais colaborando com um conjunto muito diversificado de parceiros.

ComUM: A Internet tornou-se uma constante no nosso dia a dia. Está presente em muito daquilo que fazemos. Esta presença pode significar uma habituação desprovida de cuidado na sua utilização? 

R: A este propósito o Centro Internet Segura através do seu parceiro APAV – Associação Portuguesa de Apoio à Vítima, lança no Dia da Internet mais Segura um recurso de grande utilidade para todos, denominado Data Detox x Youth. Trata-se de um kit de atividades para ajudar crianças e jovens a pensarem sobre diferentes aspetos da sua vida digital, desde os seus perfis nas redes sociais, privacidade digital, dicas de Cibersegurança, como por exemplo, reforçar as passwords e a utilização da autenticação de dois fatores, dicas sobre o bem-estar digital e desinformação. Este kit incentiva os jovens a fazerem perguntas críticas como: “Quem tem acesso aos meus dados?”, “Tenho controlo sobre isso?”, “Qual é a aparência do meu perfil online?” … convidando o utilizador a ter consciência do seu poder para influencia o seu ecossistema digital; revelando-se também fundamental para a sensibilização dos pais, educadores/as e outros/as que desempenham um papel na segurança da pegada digital dos mais jovens.

A apresentação, que assinala o Dia da Internet Mais Segura, terá transmissão em direto às 17h30 no Youtube e no Facebook da APAV e vai contar com a participação de Ricardo Estrela, gestor da Linha Internet Segura da APAV, de João Pedro Martins, embaixador português da rede de Centros Internet Segura (INSAFE) e de Daisy Kidd, coordenadora de comunicação da Tactical Tech, organização internacional responsável pelo projeto Data Detox x Youth Kit. Esta conversa será conduzida em inglês, sendo que o kit estará disponível em língua portuguesa para download na área dos recursos do website do Centro Internet Segura.

 ComUM: Qual a melhor forma de prevenir os riscos que estão implícitos ao uso da Internet? 

R: A melhor forma de prevenir os riscos que estão implícitos ao uso da internet passa sem dúvida pela educação, mais concretamente pelo desenvolvimento das competências de literacia digital como o pensamento critico, netiqueta e cidadania digital. Neste sentido, o objetivo passa por capacitar as crianças e jovens para experiências promotoras de aprendizagens e desenvolvimento saudável e relacionamentos emocionais positivos. Para concretizar a missão do Centro internet Segura – desenvolver uma cultura de uso responsável e consciente da Internet, capacitando os cidadãos para a tomada de decisões informadas e contribuir para o combate às condutas e conteúdos ilegais – no Dia da Internet mais Segura, iremos lançar, ainda, outro recurso pedagógico de apoio aos professores sobre “Publicidade dirigida a menores nas plataformas de vídeo na Internet”. Trata-se de um booklet e de um vídeo para ser utilizado em sala de aula sobre os vários formatos publicitários presentes nos vídeos online destinados a crianças e jovens. Destacar ainda que, a publicidade influencia o desenvolvimento dos menores, os seus hábitos de consumo a utilização que fazem na Internet e até na sua segurança e saúde e este recurso pretende, precisamente, trabalhar a capacidade crítica das crianças e jovens para que sejam capazes de reconhecer e analisar a publicidade presente nos conteúdos que consomem.

Não obstante, torna-se igualmente importante a presença e acompanhamento dos pais e educadores na utilização da Internet. É por isso relevante encontrar consensos familiares e negociar o tempo de utilização dos dispositivos móveis para que se consiga um equilíbrio saudável entre a vida online e a vida offline.


ComUM: Em estado de pandemia, a Internet teve um papel imprescindível na vida da população: seja para trabalho como para manter contacto com familiares ou amigos. Até que ponto conseguimos um consumo de conteúdo online regrado se o contexto em que nos encontramos parece que obriga a que seja excessivo?

R: De facto os tempos que vivemos levantam um desafio cada vez mais premente no que respeita ao consumo de conteúdo online, que tem necessariamente que ser regrado para que não se torne excessivo. Para isso, é importante que tentemos manter o equilíbrio saudável na utilização dos dispositivos móveis seja para trabalhar, estudar, comunicar ou lazer é uma tarefa desafiante neste momento de pandemia e confinamento que vivemos. São vários os estudos que apontam para o facto de que em teletrabalho, se trabalham mais horas e, consequentemente despendemos mais tempo em frente ao ecrã . As crianças e jovens direcionam a sua atenção e tempo para os ecrãs para acederem às aulas, brincadeiras, jogos e conversas com familiares e amigos. Neste sentido, as alterações das rotinas, o enfraquecimento das relações e afetos podem levar a uma utilização excessiva da tecnologia, fenómeno fácil e silencioso.

A este propósito o Centro Internet Segura desenvolveu em parceria com a Professora Ivone Patrão um “Guia: Dependências Online Orientações para a gestão saudável dos comportamentos online”, disponível para download gratuito aqui .  Este guia tem como objetivo central abordar as questões mais frequentes sobre o impacto do comportamento e das dependências online na saúde em geral. A resposta a cada uma das questões tem por base uma revisão científica da literatura, a investigação na área e a experiência clínica. Cada resposta inclui exemplos e orientações específicas. É um guia que recomendamos a todos os pais, educadores, professores e todos aqueles que aceitem o desafio da gestão saudável do comportamento online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *