Um em cada dez gamers já teve a sua identidade roubada. Bullying e cheaters também são preocupações – SAPO Tek

.article-inline-ads-2020{width:300px;margin-left:auto;margin-right:auto;overflow:hidden;} .article-inline-ads-2020 .ad-ctn {padding-top:14px;} .article-inline-ads-2020 .ad-ctn:not(:empty):before {top:0;}

Uma nova investigação da Kaspersky acerca do mundo do gaming revela que mais de um décimo dos jogadores (12%) foi vítima de roubo de identidade. Os incidentes ocorridos a nível internacional podem equivaler a um custo total de 347 mil milhões de dólares.

No inquérito da empresa de cibersegurança, levado a cabo pela consultora Savanta, foram questionados 5.031 jogadores em 17 países. De acordo com o estudo, quase um quinto (19%) afirmou ter sido vítima de bullying enquanto jogava.

A tendência do bullying ganha um maior destaque na Rússia (44%), Turquia (28%), Arábia Saudita (27%) e EUA (27%). Além disso, a investigação detalha que um terço (33%) dos jogadores afirmou ainda ter sido vítima de “indivíduos enganadores” ou cheaters.

<picture data-lazy="true" class="has-dimensions" data-original-w="578" data-original-h="220" data-original-src="https://mb.web.sapo.io/52fbd983bbc6381ed2a645e2c891dbcd2aa583b4.png" title="Dados do inquérito Generation Game da Kaspersky e Savanta – Um em cada dez gamers já teve a sua identidade roubada. Bullying e cheaters também são preocupações – SAPO Tek" data-caption="

Dados do inquérito Generation Game da Kaspersky e Savanta
créditos: Kaspersky

” data-title=”Dados do inquérito Generation Game da Kaspersky e Savanta – Um em cada dez gamers já teve a sua identidade roubada. Bullying e cheaters também são preocupações – SAPO Tek”> <!– Conditionally wrap elements in

créditos: Kaspersky

Todos os aspetos apontados causaram stress e ansiedade a 31% dos jogadores, algo visto como preocupante, uma vez que o alívio do stress é o principal motivo (62%) que leva os inquiridos a jogar, bem como a adrenalina que sentem (62%) e a amizades que estabelecem (46%).

“Quando se joga, é importante considerar, desde o início, a melhor forma de evitar ou lidar com bullies, burlões e cibercriminosos. Agir nesta fase inicial poderá ajudar os gamers a pôr muitos desses medos de lado, concentrando-se apenas em desfrutar do jogo”, explica Marina Titova, Head of Consumer Product Marketing da Kaspersky, em comunicado.

Para ajudar os gamers a jogar online de uma forma mais segura, os especialistas da Kaspersky apresentam várias recomendações, que incluem a compra de jogos em fontes oficiais e plataformas bem conhecidas, como a Steam ou a GOG.

Confirmar sempre os grandes descontos é uma forma de evitar cair na “armadilha” de cibercriminosos. Verificar a política de devolução e utilizar um cartão exclusivo para compras online devem também ser prioridades para os gamers, assim como a utilização de ligações seguras.

A proteção das contas em plataformas online, incluindo qualquer perfil social que seja utilizado para entrar em lojas de jogos, e dos dispositivos onde se joga também não deve ser descurada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *