Está em teletrabalho? Saiba como proteger os seus dados – Diário Digital

Com o novo confinamento, grande parte dos trabalhadores regressa ao trabalho remoto, onde nem sempre as condições de segurança dos dados têm a mesma robustez. Aplicações de produtividade, e-mail, plataformas de cloud, videochamadas e outras práticas e ferramentas de trabalho remoto são frequentemente alvos preferenciais para os hackers, pelo que no ambiente doméstico se torna necessário adotar comportamentos seguros no que diz respeito à proteção dos dados das empresas e pessoais.

Rui Duro, country manager para Portugal da Check Point Software Technologies lembra que “gradualmente, mais aspetos da nossa vida estão totalmente ligados ao digital. Depositamos muita informação em ferramentas conectadas à Internet, mas ainda não há muita consciência relativamente à importância de proteger estes dados, implementando estratégias de cibersegurança que permitirão uma experiência online mais segura”. Para o responsável, é crucial “adotar uma abordagem preventiva para uma vida digital segura, seja enquanto indivíduos, seja enquanto organizações. Com o novo confinamento, é nosso dever estar alerta para as ameaças que os ciberatacantes tentarão certamente impor”.

Neste sentido, é possível adotar algumas estratégias de cibersegurança por parte das empresas, através de “pilares básicos” como a sensibilização dos colaboradores para questões relativas à cibersegurança, a utilização de ferramentas de proteção de dispositivos móveis e atualização periódica de softwares.

Aqui ficam alguns conselhos para um trabalho remoto mais seguro, segundo a Check Point:

  1. Utilizar uma solução de segurança do correio eletrónico que bloqueie ataques de phishing sofisticados como o BEC, para evitar que cheguem às caixas de entrada dos colaboradores. 
  2. Identifique as informações mais sensíveis e definir políticas de segurança e de acesso.
  3. Proteger o tráfego de e-mails com uma solução de segurança avançada de um fornecedor confiável. Soluções open-source ou fornecedores demasiado especializados podem causar mais dano que benefício. 
  4. Ser cuidadoso quanto ao tipo de rede Wi-Fi com a qual trabalha e garantir uma palavra-passe forte.
  5. Verificar o endereço de e-mail completo em qualquer mensagem e estar atento a hiperligações que possam conter erros ortográficos ou qualquer alteração de nome do domínio.  
  6. Reforçar a segurança dos dispositivos que utiliza para trabalhar, especialmente equipamentos móveis ou de utilização pessoal.
  7. Não partilhar credenciais ou informações pessoais via e-mail.  
  8. Rever e reforçar todas as palavras-passe.
  9. Atualizar regularmente todas as ferramentas, softwares ou sistemas utilizados.
  10. Estar atento aos links sobre os quais clica e descarregar apenas conteúdo garantidamente confiável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *