“Tendências 2021” comece o ano atento aos sinais – Computerworld Portugal

“Tendo por base o que se conhece atualmente no âmbito científico e tecnológico e do direito e das artes, é possível antever linhas de intervenção para 2021”.

Como dizem os autores, deste livro digital, antecipar o futuro é um exercício arriscado e, por isso, “esta publicação não se focou no capítulo das previsões mas nas tendências a muito curto prazo. Tendo por base o que se conhece atualmente no âmbito científico e tecnológico e do direito e das artes, é possível antever linhas de intervenção para 2021”.

Uma exercício de um coletivo, promovido pela plataforma online TICtank.pt, que para além da sua mais recente obra, “Tendências 2021”, tem já publicadas mais três. O “Estado da Internet 2020” que faz um balanço de problemas e temáticas com que a Internet se confronta; “A desinformação na pandemia”, que foi o primeiro livro em Portugal e dos primeiros a nível internacional a analisar o impacto das “fake news” e da desinformação ligada à crise pandémica; “E se…? Cenários para 2021. Futuros para 2024”, que antecipa perspectivas para os próximos anos, a partir de uma seleção de textos do European Union Institute for Security Studies.

Mas há que esperar pelo inesperado porque, “apesar de se poderem antecipar pequenos sinais, os momentos marcantes e disruptivos só deste século surgiram sem alertas prévios: os ataques terroristas em 2001 generalizaram as ameaças aos direitos civis e privacidades nas democracias; um motor de busca minou o modelo de negócio dos media e as redes sociais atingiram o jornalismo na sua credibilidade”.

Alguns desses momentos foram absorvidos “como episódios sem importância e sem consequências” mas não deixaram de ser marcantes. Aliás, olhando para o potencial dos seus efeitos posteriores, parece que o século XXI apenas começou em 2020, quando se tornou óbvia a impossibilidade de antecipar o inesperado, com todas as suas consequências. Ficou uma certeza: só a disrupção é real.

Para o “Tendências 2021”, “foram desafiados muitos especialistas e as respostas foram diferentes, o que se refletiu no resultado final. Na realidade, a sua ausência proporcionou uma obra mais enxuta e de melhor leitura. A intenção é integrar outras perspectivas em próximas edições.”, disse Pedro Fonseca ao Computerworld.

O TICtank.pt tem várias obras para publicar, seja pela tradução de autores estrangeiros como de produção própria. A plataforma online assume-se como projeto de literacia tecnológica e mediática a longo prazo, “é necessário um patrocínio, que assegure os custos de produção e a disponibilização online sem custos para os leitores. Este ano, tivemos o apoio da Associação .PT que contribuiu para o sucesso deste projeto. Para 2021, iremos procurar outras parcerias.”, acrescenta Pedro Fonseca.

O “Tendências 2021” está organizado oito capítulos escritos por 13 especialistas:

De falhanços a tendências por Pedro Fonseca

O futuro é das máquinas artistas por Leonel Moura

Tendências e desafios para 2021 para a cibersegurança por António Gameiro Marques e Lino Santos

2021: Science antes do Data por João Pires da Cruz

Propriedade Intelectual: breve antevisão do ano de 2021 por Manuel Lopes Rocha

Arquivos online ou do online? Por Daniel Gomes

Antever em tempos de pandemia. .PT o domínio que veio para ficar por Luísa Ribeiro Lopes

Sete princípios para cumprir o sonho de Pulitzer por António Granado

Utilização de sistemas de decisão automática em Portugal por Eduardo Santos

Os Encarregados da Proteção de Dados: desafios e tendências para o próximo ano por Inês Oliveira e Horácio Lopes

Realidade aumentada e virtual em Portugal – previsões para 2021 por António Câmara

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *